Oportunidades > Oportunidades, Trabalhar

Tilápia: Embrapa e universidades desenvolvem ração que aumenta imunidade

Uma pesquisa realizada pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em parceria Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), formularam uma ração para peixes que inclui extratos naturais em sua composição, com objetivo de aumentar o desempenho produtivo e estimular o sistema imunológico, melhorando a resistência a patógenos e o controle de doenças parasitárias no cultivo de tilápia.

A ração que conta com extratos naturais em sua composição, tem ação antibacteriana e pode ser usado para combater bactérias que mais acometem os peixes de piscicultura, pois apresentou potencial eficácia para inibir o crescimento e eliminar as bactérias Streptococcus agalactiae, a Aeromonas hydrophila e a Flavobacterium columnare.

Além disso, a ração se mostrou um excelente agente alternativo para evitar o uso excessivo de antibióticos sintéticos, que podem acarretar possíveis reflexos na resistência imunológica e imunossupressão dos peixes.

“Testamos o produto com peixes, que passaram por um desafio bacteriano. Inoculamos bactérias após a suplementação com a ração contendo o extrato e os peixes apresentaram maior sobrevivência e melhoria do sistema imune. Quer dizer, estavam melhor preparados para enfrentar esse desafio bacteriano”, explica Michelly Soares, pesquisadora colaboradora na pesquisa.

A ração ainda proporciona aumento na eficiência produtiva, melhoria na conversão alimentar, maior crescimento e melhora do sistema imunológico, também minimiza estresse inerente ao cultivo e que tornam os peixes como a tilápia mais suscetíveis a novas doenças.

“Os resultados deste estudo demonstram claramente que a utilização da formulação de ração contendo suplementação com o extrato pode beneficiar a aquicultura pelo potencial em aumentar a eficiência produtiva do setor de piscicultura, pois proporciona melhoria na conversão alimentar, maior crescimento, melhora do sistema imune e minimiza a resposta ao estresse dos peixes de cultivo e atende uma das maiores demandas do setor produtivo de tilápia, o peixe mais produzido no Brasil e no mundo, que tem sofrido perdas produtivas em decorrência do aumento da ocorrência de bactérias”, enfatiza Fernanda Sampaio, pesquisadora da Embrapa Meio Ambiente e uma das coordenadoras da pesquisa.

A pesquisa pretende alcançar novos horizontes com os resultados já obtidos em laboratórios para expandir os estudos em testes em campo. Para a pesquisadora da Embrapa Meio Ambiente Sonia Queiroz, esse estudo é uma oportunidade para o mercado de ração ofertar alimentos mais saudáveis e seguros, já que irá reduzir a necessidade de uso de antibióticos na produção de peixes, evitando a presença de resíduos, se mostrando um produto natural para a sustentabilidade da aquicultura.

“Esse novo produto inovador possui potencial para impactar positivamente a cadeia produtiva da aquicultura, em especial as fábricas produtoras de ração para peixes”, afirma.

Fonte:

Canal Rural