Oportunidades > Empreender, Oportunidades

São Mateus realiza o 1º Festival Brasileiro da Pimenta-Rosa

O 1º Festival Brasileiro da Pimenta-Rosa será realizado em São Mateus, no norte do Espírito Santo. A iniciativa é do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e da Associação de Produtores e Extrativistas de Aroeira do Espírito Santo (Nativa), com o apoio e patrocínio de diversos parceiros. O Festival vai acontecer nos dias 03, 04 e 05 de junho, na Comunidade do Nativo, em Barra Nova, São Mateus.

A programação abrange demonstrações de processos de beneficiamento e extração do óleo da pimenta-rosa e mel de aroeira; Dia de Campo de boas práticas e agregação de valor; oficina de biofertilizantes, entre outros. O Festival também vai contar com mesa-redonda, debates, palestras, atividades lúdicas, demonstração de produtos, entrega de material didático, abordagens sobre recomendações técnicas da aroeira, entre outras atrações.

A coordenadora de Recursos Naturais do Incaper e organizadora do evento, Fabiana Ruas, ressaltou que o Festival vai proporcionar visitas em áreas de produção e aulas de culinária, além de degustações de produtos da gastronomia local com uso de pimenta-rosa. Haverá ainda a atualização sobre a Indicação Geográfica (IG) Pimenta-Rosa São Mateus e as inaugurações da sede da Associação Nativa e da Unidade Coletiva de Extração de Óleos e Coprodutos da Aroeira e outras espécies.

“Esse é o primeiro evento que nós temos conhecimento no País. Esperamos que seja um marco não só para o Espírito Santo, mas também para o Brasil. O Estado é referência nessa cultura e nós somos procurados por outras instituições do Brasil inteiro e até de fora. Convidamos todos os produtores de pimenta-rosa e os interessados na atividade a participarem do evento. O Festival vai ser uma oportunidade para troca de experiências e contatos, com a proposta de melhorarmos ainda mais toda a cadeia produtiva e unir todos os elos para evoluirmos cada vez mais”, ressaltou Fabiana Ruas.

A comunidade do Nativo, em São Mateus, onde está localizada a sede da Associação de Produtores de Aroeira do Estado do Espírito Santo (Nativa), é o berço da pimenta-rosa, segundo Fabiana Ruas. “A Associação já apresentou bons resultados em termos de produtividade e de qualidade do produto final, além de, ao longo dos últimos anos, contar com iniciativas inovadoras para o desenvolvimento de diversos produtos, como óleo essencial, hidrolatos, pomadas e repelentes naturais, entre outros, utilizando produtos e resíduos da matéria prima (pimenta-rosa) produzida pela própria associação”, complementou.

“O Incaper desenvolve pesquisas e ações em extensão rural e assistência técnica há alguns anos na cadeia produtiva da pimenta-rosa. Há pelo menos 15 anos, nós acompanhamos essa cadeia produtiva. Temos um grupo de trabalho no Instituto da Aroeira (GT Aroeira) e percebemos a maturidade do grupo, semelhante ao período de maturação dos frutos da pimenta-rosa. Nós chegamos a um ponto de maturidade e maturação ideal para realizar um evento como este”, destacou Fabiana Ruas.

Pesquisas e Investimentos

O projeto Biomas Mata Atlântica, coordenado pelo Incaper, realizou diversas ações em prol do cultivo da Aroeira, árvore nativa da Mata Atlântica e que tem como fruto a pimenta-rosa. O cultivo e a avaliação da qualidade da pimenta-rosa evidenciaram uma cultura que gera renda e está aliada à preservação ambiental, um dos resultados inéditos do projeto para o País. O projeto foi desenvolvido pelo Incaper, em parceria com a Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) – Florestas.

“A pimenta-rosa começou a ser pesquisada de fato como cultura agrícola, a partir do projeto Biomas/ Mata Atlântica, que fui coordenadora. Com esse projeto, foi possível a realização de atividades como os cursos, dias de campo e diversas outras, com os produtores rurais e parceiros. Pesquisamos o manejo dessa espécie, como cultivar, plantar, adubar, fazer poda e muito mais, a partir do projeto Biomas”, explicou Fabiana Ruas.

Outros projetos de pesquisa e desenvolvimento sobre a pimenta-rosa estão sendo conduzidos em parceria com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (Ifes) e a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes).

O Banco de Projetos da Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), com investimento da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), vai contratar o projeto Aroeira do Incaper, com o aporte de cerca de R$ 600 mil. O projeto está em fase de liberação de recurso para investimento de ações na cadeia produtiva da pimenta-rosa.

Confira a programação completa do 1º Festival Brasileiro da Pimenta-Rosa.

 

Fonte: Revista Negócio Rural