Não é celíaco? Entenda os riscos de tirar totalmente o glúten da dieta

Nos últimos anos, muito tem se ouvido falar a respeito dos efeitos negativos do glúten no organismo. Junto ao carboidrato, a substância se tornou uma verdadeira vilã da alimentação. Porém, tirar itens como pão e macarrão por completo da dieta tem consequências, como gerar efeitos contrários ao imaginado.

“Uma dieta sem glúten requer evitar todos os alimentos que o contenham, naturalmente, e ainda os comprometidos por contaminação cruzada”, explicou a nutricionista americana Melanie Sherman ao portal Insider. Segundo ela, o glúten é uma proteína encontrada em alguns grãos, incluindo trigo, cevada, centeio, espelta e kamut.

Apesar de ser fundamental para quem sofre de doença celíaca ou tem algum tipo de intolerância, o ato de eliminar essa proteína por completo do prato não ajuda a emagrecer, e também é capaz de causar efeitos adversos no corpo.

“Na verdade, algumas pessoas com doença celíaca podem descobrir que ganham peso à medida que seu sistema digestivo finalmente se cura e são capazes de absorver os nutrientes de maneira adequada”, defende Sherman.

Há quem recorra a essa medida, também, por se sentir inchado após consumir algo que contenha o ingrediente. Apesar de a intenção ser boa, esse “radicalismo” esbarra em alguns perigos.

Um estudo de 2017, por exemplo, descobriu que dietas sem glúten de longo prazo em pessoas sem doença celíaca podem aumentar o risco de problemas cardiovasculares – provavelmente porque eliminar o glúten também significa remover alguns alimentos saudáveis – é o caso da quinoa, ​​que fornece vitaminas e minerais.

“Diversas evidências apontam para o fato de que grãos integrais na dieta estão associados a um menor risco de doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, síndrome metabólica e até câncer “, emenda a nutricionista Brittany Modell, à mesma publicação.

Se você estiver seguindo uma dieta sem glúten, pense em como inserir a proteína à rotina de uma forma mais saudável, em vez de fingir que ela não existe. Sempre que for mudar algo na sua alimentação, busque a orientação de um profissional da área de nutrição.

Fonte: Metrópoles