Mel de verdade cristaliza? Conheça mitos e verdades sobre o produto!

Apreciado pelo sabor, pelo aroma e também pela capacidade de substituir o açúcar em diferentes preparos, o mel ainda desperta dúvidas em que tem o hábito de consumi-lo.

Mel de verdade cristaliza?, Como saber se a qualidade é boa, basta olhar a cor? Existe prazo de validade? Esses são só alguns dos questionamentos mais comuns. Veja abaixo alguns mitos e verdades sobre o produto!

Mel de verdade não cristaliza. Mentira!

A cristalização é um processo natural, que pode ocorrer tanto por influência da florada, quanto pelas condições em que o produto foi armazenado. Se não quiser usá-lo sólido, aqueça em banho maria (sem ferver).

É preciso observar a validade do produto no rótulo antes de consumi-lo. Fato!

Em geral, a validade é de 2 anos. Mas fatores como local de armazenamento, embalagem em que foi acondicionado e até a higiene no processo de produção influenciam no prazo.

Se todo o mel é produzido por abelhas, todo mel é igual. Mentira!

Existem inúmeras variedades, que se diferenciam quanto a doçura, cor, aroma e sabor. As diferenças se dão pelo tipo de flor em que a abelha coletou o néctar e pela espécie da abelha que fabricou o produto.

Ferver o mel fará com que ele perca as propriedades naturais. Fato!

Temperaturas elevadas promoverão o aumento da substância chamada hidroximetilfufural (HMF). O produto também perderá parte dos compostos aromáticos. Não deixe que a temperatura passe de 45ºC.

Para saber se um mel é puro, basta olhar a cor. Quanto mais claro, melhor. Mentira!

A cor do produto é só uma das variáveis e nada tem a ver com ser “verdadeiro” ou não. Para se certificar da qualidade, procure saber a origem do produto e veja se a embalagem apresenta os registros municipal (Vigilância Sanitária), estadual (do Estado onde foi produzido) ou federal (Ministério da Agricultura).

 

Fonte:

Hoje em Dia