Glúten: vilão ou mocinho?

O glúten é uma proteína natural presente em cereais e seus derivados como trigo, aveia, centeio, malte e cevada. Está no embrião de alguns grãos e sementes. Ele absorve água e confere à massa de farinha a elasticidade adequada no preparo de pães. É o glúten que deixa os pães e bolos “fofinhos”.

Nos últimos anos, essa proteína vem se tornando uma substância famosa e protagonista de muitos debates. De fato, essa fama se deve aos assuntos que englobam as intolerâncias relacionadas aos alimentos que contam com essa substância. Em pessoas com doença celíaca, cortar o glúten da dieta não é questão de seguir a moda, mas sim de necessidade. Em celíacos, a ingestão dessa proteína danifica o revestimento do intestino delgado e pode interferir na absorção dos nutrientes.

Com isso surgem as dúvidas e, por conta delas, muitas pessoas passaram a deixar de consumir produtos com glúten, pois acreditam que ele interfere diretamente na dieta e no controle do peso, por exemplo. Mas afinal, o que é mito e o que é verdade?

Glúten faz mal à saúde?
Mito.
O glúten é uma proteína de origem vegetal que, assim como outras, fornece substrato para funções celulares. De acordo com especialistas, em uma dieta balanceada é fundamental contar com alimentos fontes de glúten, como pães e massas feitos com o trigo. Pessoas que não têm intolerância ou alergia, e nem doença celíaca, podem ingerir a proteína naturalmente.

Dieta livre de glúten ajuda a perder peso?
Mito.
De acordo com especialistas da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição (SBAN), o que emagrece em uma dieta restritiva sem glúten é o menor consumo de carboidratos, que acaba queimando mais gordura do corpo. Não é necessário eliminar a proteína para perder peso, isso pode acontecer com qualquer dieta na qual há corte de calorias. Tirar o glúten da alimentação pode ajudar no início, mas não é a melhor estratégia para emagrecer.

Posso reduzir o consumo ou excluir temporariamente o glúten da alimentação para dar um descanso ao organismo?
Verdade.
Especialistas indicam que é possível excluir alguma substância temporariamente da alimentação como uma estratégia para ver como o organismo reage a um desconforto, por exemplo, desde que com orientação profissional. Muitas vezes, só diminuindo o consumo de determinado alimento, o organismo já reage bem, principalmente quando se tratam de distúrbios gastrintestinais.

É possível ter uma alimentação saudável mesmo tendo intolerância, sensibilidade ou alergia ao glúten?
Verdade.
Para pacientes com alergia, sensibilidade ou intolerância ao glúten, é possível aumentar o teor de fibras da alimentação por meio de um maior consumo de frutas, verduras e legumes. Além disso, é preciso ter o suporte de um profissional de saúde para avaliar e acompanhar a rotina alimentar e sugerir algumas alterações, caso haja deficiências nutricionais. Esse profissional também pode sugerir receitas isentas de glúten, adaptadas com nutrientes substitutos da proteína, de acordo com os hábitos de vida e de alimentação do paciente.

Alimentos sem glúten são mais saudáveis?
Mito.
Há alimentos sem glúten que têm muito açúcar ou altos índices glicêmicos, o que não é considerado saudável. Por isso é sempre importante ler os rótulos dos alimentos antes de substituir.

Doença celíaca é uma alergia alimentar?
Mito.
Essa confusão existe porque tanto a doença celíaca quanto as alergias alimentares são uma reação do sistema imunológico a um determinado alimento. Entretanto, existem diferenças importantes entre elas. Por exemplo, a reação alérgica começa segundos ou minutos após o consumo do alimento, podendo causar falta de ar e outros sintomas súbitos potencialmente graves ou mesmo fatais. A doença celíaca pode ser mais lenta e silenciosa, com sintomas indo de leves a intensos se manifestando por um longo período.

Sensibilidade ao glúten é a mesma coisa que doença celíaca?
Mito.
Pessoas com sensibilidade ao glúten têm sintomas semelhantes ao de doença celíaca, mas uma investigação médica pode mostrar resultados diferentes nos exames. Na sensibilidade ao glúten, o corpo reage mal à proteína, mas o intestino não sofre danos.

 

Fontes:

http://sban.cloudpainel.com.br/source/DeclaraAAo-de-Posicionamento-da-Sociedade-Brasileira-de-AlimentaAAo-e-NutriAAo-sobre-Dieta-sem-GlAten_1.pdf

https://www.nutsnutritionscience.com/single-post/gluten-mitos-e-verdades

https://www.pfizer.com.br/noticias/ultimas-noticias/10-mitos-e-verdades-sobre-doenca-celiaca

https://www.unimedpoa.com.br/blogviverbem/Paginas/10-Mitos-e-verdades-sobre-o-gl%C3%BAten.aspx