Oportunidades > Empreender, Oportunidades

Genética reverte resistência da mosca da fruta

Especialistas do Tata Institute for Genetics and Society (TIGS) desenvolveram um método para reverter a resistência a inseticidas usando a edição de genes CRISPR-Cas9. Os resultados de seu estudo são publicados na Nature Communications e podem ajudar a reduzir o uso de pesticidas, bem como o controle genético de mosquitos mortais para humanos.

Os inseticidas desempenham um papel central nos esforços para combater os impactos globais da malária e outras doenças transmitidas por mosquitos, que causam cerca de 750.000 mortes por ano. Esses produtos químicos específicos para insetos, que custam mais de US$ 100 milhões para serem desenvolvidos e comercializados, também são críticos para controlar os danos às plantações induzidos por insetos que representam um desafio à segurança alimentar.

Mas nas últimas décadas, muitos insetos se adaptaram geneticamente para se tornarem menos sensíveis à potência dos inseticidas. Na África, onde redes tratadas com inseticida de longa duração e pulverização interna são armas importantes na luta contra a malária, muitas espécies de mosquitos em todo o continente desenvolveram resistência a inseticidas, reduzindo a eficácia dessas intervenções. Em certas áreas, espera-se que as mudanças climáticas exacerbem esses problemas.

Biólogos da Universidade da Califórnia, em San Diego, desenvolveram um método que reverte a resistência a inseticidas usando a tecnologia CRISPR/Cas9. De acordo com o publicado na Nature Communications , os pesquisadores Bhagyashree Kaduskar, Raja Kushwah e o professor Ethan Bier do Tata Institute for Genetics and Society (TIGS) e colegas usaram a ferramenta de edição de genes para substituir um gene de resistência a inseticidas em moscas da fruta, uma conquista que poderia reduzir significativamente a quantidade de inseticidas usados.

Fonte: Agrolink