Oportunidades > Empreender, Oportunidades

Como a telemetria pode revolucionar o agronegócio?

O termo “telemetria” ganhou o significado de medição de dados de forma remota e análise em tempo real. Com o avanço da tecnologia, a telemetria se tornou ponto central para a realização de tarefas cada vez mais complexas com maiores taxas de automatização e roubou a cena nos mais diversos segmentos, inclusive no agronegócio.

O que é telemetria?

Em geral, a telemetria é feita por comunicação sem fio. Para isso, é utilizado um sistema que monitora, coleta e envia os dados para uma central, que pode ser um programa de computador ou um aplicativo de celular.

Esses dados podem ser analisados por máquinas ou por humanos para gerar informação e soluções para problemas. Os números também podem ser recebidos e gerar comandos automáticos baseados em parâmetros previamente estabelecidos.

A telemetria é utilizada nos mais diversos segmentos, como no monitoramento climatológico, na mediação geográfica e no controle logístico de veículos, reunindo dados de telecomunicações em redes de telefone ou de internet nos mais diversos itens de Internet das Coisas (IoT) e, é claro, na agricultura.

Como a telemetria pode ser usada no agronegócio?

1. Controle de máquinas

Máquinas conectadas podem passar informações importantes para produtores, como necessidade de abastecimento, mapas de produtividade, monitoramento de colheitas, trajeto e tempo de uso de colheitadeiras. Esses dados podem dar subsídios para a tomada de decisões e até ser capazes de evitar acidentes com maquinários.

2. Poder decisório

Já imaginou poder reduzir os custos e aumentar a produtividade? É isso que a coleta e a análise de dados são capazes de fazer. A telemetria pode ser realizada por máquinas como drones e scanners em apps para apontar gargalos na produção. Atualmente, a tecnologia consegue apontar os melhores agrodefensivos a serem usados em cada caso, o melhor horário e a periodicidade para a aplicação dos produtos.

Também podem ser realizadas medições e correções de solo para cada tipo de cultura, além do escaneamento e da indicação de pragas e infestações. Reunir informações é um poderoso aliado para o produtor rural que quer aumentar a produtividade e evitar perdas e retrabalhos.

3. Controle de custos

A telemetria e a alimentação correta de dados em softwares de análise podem ser determinantes para diminuir desperdícios e cortar custos. Uma boa análise de dados garante a otimização da logística, evita compras excessivas de insumos e assegura a qualidade dos produtos entregues aos clientes finais.

Gargalos para expansão da telemetria

Muitos produtores rurais já vivem uma nova fase tecnológica do agronegócio, empregando drones e outros equipamentos com tecnologia de ponta. Porém, boa parte do País ainda sofre com a dificuldade da baixa qualidade da conexão de internet.

Uma pesquisa do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) estimou que as áreas urbanas do Brasil têm conectividade 1,5 vez mais abrangente do que nas áreas rurais. Isso faz que 13 milhões de moradores de áreas rurais não tenham nenhum tipo de acesso à internet; aqueles que têm sofrem com baixa banda de conexão ou conexão intermitente.

Outra pesquisa aponta o gargalo no acesso à telecomunicação no Brasil. O Instituto CNA apontou que, em 2021, apenas 37% dos produtores rurais da América Latina tinham conexão com internet em padrões suficientemente bons para a operacionalização de equipamentos de telemetria.

A chegada da 5G ao Brasil vai transformar essa realidade. Mesmo não estando disponível em todas as áreas, um dos requisitos da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para as operadoras é a ampliação de conectividade de outros tipos (4G e 3G) em áreas afastadas. O acesso a um sinal de internet de qualidade e mais constante deve ampliar a confiabilidade em produtos tecnológicos e aumentar a abrangência no uso das tecnologias.

Mais uma vez, o agronegócio brasileiro se vê diante de uma grande disparidade entre os grandes e os pequenos produtores. Enquanto muitos grandes produtores conseguem acesso facilitado a ferramentas tecnológicas que podem até diminuir a necessidade da mão de obra humana, diversos pequenos produtores não têm acesso à tecnologia nem ao conhecimento para utilizá-la.

Para um agronegócio inclusivo, mais competitivo e mais conectado com o mundo, é preciso capacitar produtores rurais para o uso da internet e de outras tecnologias que usam a telemetria. Além disso, é preciso garantir ferramentas de acesso a esses produtos. Isso garantirá a continuidade do aumento da produtividade do agronegócio brasileiro, que, além de ser um grande exportador e um dos líderes de produção alimentar no mundo, precisa garantir a alimentação dos brasileiros.

Fonte: Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura, CNA Brasil, Infleet, Op services, Newtec

Fonte: Sou Agro | Estadão