Fique em casa, acelera mudanças

Por: Demétrio Costa

Tempos difíceis. Impossível saber a quanto chegará a conta final. Mesmo na faixa dos vulneráveis, sem ter vivido ou acompanhado nada semelhante em mais de 50 anos como jornalista, não fiquei em casa. Cumpri boa parte do isolamento na sede praticamente vazia da DBO, em contato com a equipe que, em viagem ou de casa, trabalhava na preparação da nova edição da revista.

Não foram poucos os momentos em que circulei por salas vazias, pela Redação silenciosa, olhando estações de trabalho que certamente ficarão ociosas. Puxa, imaginei, poderia destinar uma das duas casas geminadas que ocupamos para coworking, mas também este, talvez, seja um negócio de vida curta, sem muito futuro.

Ainda é cedo para conclusões mais abrangentes, porém é certo que o “fique em casa” se transformou em poderoso acelerador das mudanças que já estavam em curso nas formas e relações de trabalho. As tecnologias facilitadoras não param de chegar e quem, como eu, não havia utilizado várias delas, está precisando rever conceitos.

Sempre valorizei muito o convívio com as pessoas da equipe, as possibilidades da troca e soma de experiências, e ainda tenho esperança de preservar uma parte disso através de encontros para um café e análise do trabalho. Virtual de vez, só se a distância exigir. De qualquer maneira, não se trata de dizer que vai mudar; já mudou.

Ao mesmo tempo, vejo o quanto as novas plataformas de comunicação, que rapidamente todos vão incorporando, poderão contribuir para a agilidade e aprimoramento do nosso trabalho jornalístico. Nada substituirá a riqueza da presença do repórter numa fazenda, por exemplo, para conhecer em detalhes um sistema de produção e seus protagonistas, mas quantas vezes nos deslocamos, incluindo viagens, apenas para estar frente a frente de nosso entrevistado?

Hoje, podemos ficar ‘frente a frente’ com vários entrevistados simultaneamente, além de todas as outras possibilidades de captar imagens e informações para cumprir nossa missão de oferecer conteúdo relevante para a pecuária, no impresso e no digital.
Acredito firmemente que vamos fazer mais com menos e crescer nosso papel como mídia especializada.

 

 

Demétrio Costa
Diretor executivo e Diretor de Redação da DBO Editores Associados